Benefícios da Carne de Ovelha para saúde

Carne de ovelha é menos comum na mesa dos brasileiros do que a carne de boi. No entanto, por também ser uma carne vermelha, contém muitos dos nutrientes encontrados nesta, com algumas vantagens: por exemplo, é menos gordurosa e mais macia, e assim de melhor digestão.

carne de ovelha

E, tal como a carne bovina, também é muito versátil na gastronomia, permitindo diversos preparos – comparando as duas, tem um sabor mais marcante.

Assim, neste texto, vamos falar sobre os benefícios e propriedades da carne de ovelha para o nosso organismo, de quando ela pode fazer mal, como temperar carne de ovelha e passar receitas com carne de ovelha. Boa leitura, e bom apetite!

Carne de ovelha e de cordeiro não são a mesma coisa?

Primeiro, é preciso saber diferenciar cordeiro de carneiro e ovelha. Todos estes termos se referem ao mesmo animal, em diferentes idades. Vejamos:

  • Cordeiro: é o filhote até sete meses de idade, tanto macho como fêmea. Na fase de amamentação, também é chamado de mamão. Sua carne é mais rosada, macia e com menos gordura, de cor branco-creme.
  • Borrego: seria o animal na puberdade, enquanto ainda não está apto a se reproduzir, entre sete e quinze meses. A fêmea é chamada de borrega. Sua carne é mais vermelha, firme e é nesta fase que atinge o sabor marcante, um dos elementos responsáveis pela fama da carne ovina.
  • Ovelha: a borrega passa a ser considerada assim depois do primeiro parto.
  • Capão: é o borrego que chegou à idade de reprodução, por volta dos quinze meses, mas foi castrado ainda cordeiro. É usado para a produção de lã.
  • Carneiro: é o macho reprodutor.

É importante dizer que, conforme o animal vai envelhecendo, sua carne vai perdendo qualidade, ficando mais escura, dura e mais gordurosa, e a gordura vai se tornando amarela, devido ao pigmento de certas plantas que ele vai comendo ao longo da vida – ou seja, examinar a cor da carne e da gordura é o melhor meio de saber a idade do animal. As carnes vendidas costumam ser de animais de até um ano de idade.

Agora vamos aos benefícios da carne de ovelha!

Qualidade nutricional da carne de ovelha

Proteínas

Carne é formada de proteínas, que são a matéria-prima dos ossos, músculos e cartilagens do nosso corpo. A carne de ovelhacontém 25% de proteína magra, na qual estão todos os aminoácidos necessários para o crescimento e manutenção do corpo humano. Ela é especialmente indicada para atletas, principalmente fisiculturistas, pessoas idosas ou que passaram por cirurgias, ou seja, para quem precisa desenvolver ou trabalhar o sistema muscular.

Um parêntese: uma das prioridades dos idosos deve ser uma boa formação de massa muscular. Conforme a idade avança, o corpo vai diminuindo essa produção, o que os torna muito frágeis numa simples queda e, pior, torna mais difícil a restauração desses músculos que se feriram. Portanto, necessitam muito ingerir proteínas.

Vitaminas

  • Ferro: sem ele praticamente inexiste o transporte de oxigênio do sangue até as células, porque ele é que forma as hemácias (glóbulos vermelhos), que desempenham essa função. Como resultado, a pessoa fica com a energia baixa, isto é, muito fraca e fatigada – sintomas da anemia. A carne de ovelha contém ferro heme, que ajuda o organismo a absorver o ferro não-heme proveniente dos alimentos de origem vegetal.
  • Vitaminas do Complexo B – B2 (riboflavina), B3 (niacina), B5 (ácido pantogênico), B6 e B12: são responsáveis pelo desenvolvimento e manutenção das células nervosas, ajudando a prevenir doenças como depressão, mal de Alzheimer e outras demências. B12 só é encontrada naturalmente em alimentos de origem animal.
  • Zinco: é um dos minerais que trabalha principalmente para o desenvolvimento e manutenção do corpo humano como um todo – a começar com o feto, por isso que ele é tão importante para mulheres grávidas. Após o nascimento, ele continua atuando no crescimento da criança e do adolescente. Também sintetiza o DNA e proteínas do sangue, e ajuda em cicatrizações de tecidos.
  • Creatina: é uma grande fonte de energia, o que melhora a disposição e performance nos exercícios físicos.
  • Antioxidantes: glutationa, taurina, entre outros. Ao retardar o envelhecimento do organismo, adiam doenças causadas pela idade (demências, por exemplo), e ajudam na renovação da pele.

Gorduras

Pesquisas estão desmistificando a ideia de que a carne de ovelha deve ser evitada por causa da gordura. Primeiramente, comprovam que esta opção tem menos gordura do que a carne de boi. E, segundo, mostram que essas gorduras são não apenas benéficas, mas necessárias ao organismo humano. São elas:

propriedades da carne de ovelha
  • Ácido graxo ômega 3: é um anti-inflamatório natural.
  • Graxos mono e poli-insaturados: aumentam o nível de HDL, o colesterol bom, o que melhora o funcionamento do sistema cardiovascular.
  • Gorduras trans ruminantes: não confunda com a gordura trans usada nos alimentos processados! Esta, por ser natural, é benéfica: a mais importante delas é o ácido linoleico conjugado (CLA), que aumenta a massa muscular ao produzir gorduras boas. Isso é mais um motivo que torna a carne de ovelha indicada ao grupo anteriormente citado: atletas fisiculturistas, idosos e pessoas em processo pós-cirúrgico.

Possíveis malefícios da carne de ovelha

Alerta: como qualquer outra carne vermelha, se consumida em grandes quantidades com muita frequência, a carne de ovelha pode, sim, fazer mal. O ideal, conforme recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde), é comer entre 300 e 500g por semana, o que equivale a um bife pequeno por dia, e não deixar tostar demais, a ponto de formar uma crosta preta. Assar, grelhar ou cozinhar é melhor que fritar.

Excessos podem causar:

  • aumento do risco de vários tipos de câncer;
  • inflamações;
  • aumento do LDL, que é o colesterol ruim, e por consequência do risco de doenças cardiovasculares.

Agora que já vimos as propriedades da carne de ovelha, vamos ver a melhor parte: como temperar carne de ovelha e algumas sugestões de receitas.

Receitas com carne de ovelha

Já sabemos que a carne de ovelha tem o sabor marcante, e isto já impõe uma condição: temperos mais suaves serão inúteis, pois naturalmente desaparecerão.

Mesmo assim, antes de mais nada, o ideal é saber se a carne que você comprou provém de cordeiro ou de borrego, pois, conforme já vimos, elas têm características diferentes: a de cordeiro tende a ser mais suave, enquanto que o sabor marcante tão conhecido dos apreciadores está presente na carne do borrego. De qualquer forma, isso também depende de fatores como tipo de criação do animal (confinamento ou solto no pasto), qual era sua dieta e peso de abate.

A presença do sabor determina a quantidade de tempero, pois carne marcante deve ser menos temperada, para que não seja ofuscada – razão pela qual vários fãs da carne de ovelha preferem consumi-la sem nenhum tempero.

Os mais usados são louro, alecrim, zimbro, hortelã e pimenta, sozinhos ou como ingredientes de uma marinada, misturados com vinho branco ou tinto, e até mesmo cerveja.

A seguir, uma receita de marinada e outra com a carne da ovelha.

Carne de Ovelha Marinada

Ingredientes para 10 kg de carne:

  • 10 colheres de sopa de sal;
  • 7 folhas de louro;
  • 1 litro de vinho branco seco de boa qualidade;
  • 2 cabeças de alho de tamanho médio;
  • 1 colher de sopa de pimenta do reino;
  • 400 ml de água (equivale a dois copos);
  • 1 noz-moscada ralada;
  • 1 colher rasa de sopa de alecrim fresco ou desidratado.

Bata todos os ingredientes no liquidificador. Coloque a carne num recipiente, cubra com essa mistura e deixe descansar na geladeira por pelo menos 6 horas. Depois é só preparar a carne, no forno ou na churrasqueira.

Se quiser, use a marinada como base para um molho. Simplesmente cozinhe a mistura numa panela até reduzir.

Pastel de Ragu de Cordeiro

  • 1 pacote ou 1 rolo de massa para pastel;
  • 600 gramas de carne de cordeiro em cubos;
  • 4 dentes de alho finamente picados;
  • 1 cebola finamente picada;
  • 500 ml de caldo de carne caseiro;
  • 2 tomates sem pele e sem sementes picados;
  • 100 ml de vinho tinto;
  • 1 clara de ovo;
  • Sal a gosto;
  • Pimenta-do-reino preta moída a gosto;
  • Cheiro-verde a gosto;
  • Azeite de oliva;
  • Óleo para fritar.

Tempere a carne com sal, pimenta e azeite oliva a gosto. Acrescente o alho picado e misture bem.

Em uma panela com um fio de azeite, doure a cebola. Acrescente a carne e frite até dourar. Em seguida, adicione o tomate e refogue por aproximadamente 1 minuto. Vá adicionando o vinho e o caldo de carne em fogo baixo, mexa de vez em quando, e cozinhe até a carne começar a se desmanchar.

Retire do fogo, polvilhe o cheiro-verde a gosto e deixe esfriar. Assim que o ragu estiver frio, monte os pastéis.