Benefícios da Carne Vermelha para a saúde

A carne vermelha é, atualmente, um dos elementos que mais dividem opiniões quando o assunto é uma alimentação saudável. Existem muitas correntes que procuram banir seu consumo, alegando, entre outras coisas, que aumentam o risco de vários tipos de câncer e de doenças cardiovasculares.

No entanto, boa parte dos nutricionistas afirma que a carne vermelha, assunto específico deste texto, tem propriedades e benefícios muito importantes, sem os quais várias funções do nosso corpo não conseguem ser cumpridas adequadamente, comprometendo nossa saúde. O segredo estaria numa contribuição mais equilibrada dela com vegetais; porém, não é impossível a quem adota a dieta vegetariana ou vegana a obtenção desses mesmos nutrientes.

Aqui, veremos qual é a função da carne, propriedades da carne vermelha e seus benefícios e malefícios para a saúde. Mas, para começar, veremos qual é a diferença entre carne vermelha e carne branca, outro assunto que pode gerar alguma confusão. Continue lendo!

Carne vermelha e carne branca

O que dá à conhecida cor vermelha ou branca da carne é a quantidade de ferro concentrada nela – quanto mais vermelha, mais ferro contém (lembre-se: o ferro também é responsável pela cor vermelha do nosso sangue). Animais mais velhos têm a carne mais vermelha, pois tiveram mais tempo para acumular a substância.

benefícios da carne vermelha

Para o mundo gastronômico e a população em geral, os tipos de carne vermelha são, por exemplo: bovina, ovina, equina, caprina, de búfalo, entre outras. E carnes brancas são: suína, vitela, coelho, aves (galinha, peru, pato, ganso) e peixes, entre outras.

Mas não é com esta divisão que a OMS (Organização Mundial da Saúde) trabalha nas suas pesquisas e comunicados. Eles classificam como carne vermelhatodos os tipos de carne que vêm dos tecidos musculares dos mamíferos. Assim, no esquema apresentado acima, porco e coelho entram na categoria das carnes vermelhas. E, na das carnes brancas, só é considerada a carne de frango.

Na verdade, a OMS só apela para esta nomenclatura para tornar mais fácil a linguagem dos seus comunicados, pois, no dia a dia, ela só considera cada carne de acordo com o animal da qual vem, sem generalizar dessa forma.

Neste texto, vamos adotar a visão dos tipos de carne vermelha da OMS.Embora muita gente associe automaticamente a carne vermelhaà carne bovina.

Qual a importância da carne vermelha na alimentação

Agora vamos falar das funções e propriedades da carne vermelha para o nosso organismo. Continue ligado!

Qual a função da carne

Você já sabe: os alimentos podem ser divididos conforme a ação dos seus nutrientes no nosso organismo: construtores, energéticos e reguladores. Os construtores ajudam na composição dos tecidos que formam os órgãos; os energéticos contribuem com a energia da combustão do seu metabolismo; e os reguladores são os grandes fornecedores das mais diversas vitaminas para o nosso corpo, ajudando no desempenho com equilíbrio de inúmeras funções.

Nesta divisão, as carnes entram principalmente como as construtoras, apesar de também contribuírem para o aumento da nossa energia.

Se elas são construtoras, isso quer dizer que seu principal componente é a proteína, que é a matéria-prima para construção ou regeneração dos ossos, músculos e cartilagens do nosso corpo, além de outros tecidos. Ou seja, de saída ela é responsável pelo desenvolvimento do organismo e por sua manutenção no seu melhor estado.

Carnes nada mais são do que a parte muscular do animal, e esta parte nele é igual à nossa: os músculos estão junto com as gorduras, que preenchem o espaço entre eles e são reservas de energia. Assim, eles dispõem naturalmente de tudo o que nós precisamos para o nosso corpo. Isso é importante por explicar por que certas vitaminas e proteínas são melhor processadas pelo organismo quando sua origem é animal.

Agora vamos ver quais são estas proteínas e vitaminas.

Proteínas das carnes

carne vermelha benefícios
  • Proteína de alto valor biológico. Só os produtos de origem animal contêm todos os aminoácidos que a formam. Ela é responsável por grande parte do nosso peso, ou seja, é essencial para quem está crescendo.
  • L-carnitina: este aminoácido é o responsável por levar as gorduras para serem queimadas nas nossas mitocôndrias, que são a parte central das nossas células. Ela é considerada não essencial porque nosso corpo, apesar de não a produzir, tem uma reserva dela, sintetizada no fígado. Ela também atenua a hipertensão, estresse oxidativo e inflamações nos órgãos do aparelho cardiovascular, pode melhorar os níveis de glicemia e de colesterol em diabéticos do tipo 2 e atuar na perda de peso.
  • Glutationa: é o principal antioxidante natural, “construída” pelo nosso organismo com os aminoácidos presentes na carne vermelha, principalmente a bovina. Sendo assim, ajuda na regeneração de células, retarda o envelhecimento e evita doenças, contribuindo para o aumento da longevidade. Sua falta aumenta o estresse oxidativo e inflamações gerais.
  • Carnosina: com a glutationa, atua na prevenção do envelhecimento do organismo e na prevenção de doenças.
  • Creatina: melhora a disposição e resistência para os exercícios, e aumenta a massa muscular.

Vitaminas das carnes

  • B12 (cobalamina): qual é a vitamina da carne mais importante para o nosso organismo? É esta aqui! Apesar disso, não é produzida pelo organismo humano.Algumas das suas funções são formar a hemoglobina, que é a substância no sangue que transporta o oxigênio dele para as células e proteger a bainha de mielina, espécie de capa que envolve cada um dos nossos neurônios. Sua falta pode causar anemia, fadiga, doenças mentais como depressão e amnésia, ou prejuízos em sistemas nervosos ainda em formação.
  • Ferro: dividido em ferro de heme e ferro não-heme. Também é importante para a formação das hemácias e hemoglobinas.
  • B6: também responsável pela renovação celular.
  • E: vitamina responsável pela regeneração da pele.
  • Zinco: protege contra doenças como Alzheimer e depressão, também é responsável pela regeneração das células, e é importante na gravidez.
  • Potássio: torna os ossos mais resistentes e melhora o sistema nervoso, entre outras funções.
  • Selênio: funções antioxidantes.
  • Magnésio: atua sobre o funcionamento de mais de 300 tipos de enzimas.

Benefícios da carne vermelha

Então, vamos listar aqui as propriedades da carne vermelha:

  • As proteínas aumentam a massa muscular e geram a sensação de saciedade, diminuindo a ingestão de comida;
  • Melhorias na pele;
  • Formação e regeneração dos tecidos;
  • Regeneração do sistema nervoso;
  • Melhora no sono;
  • Mantém o humor positivo;
  • Para diabéticos: aumenta a sensibilidade das células à insulina e parece promover perda de gordura;
  • Propriedades antioxidantes.

Malefícios da carne vermelha

Apesar de tudo isso, a carne vermelha também pode fazer mal. Isso acontece se ela for consumida em excesso com muita frequência, com muita gordura ou até mesmo queimada.

Os órgãos de saúde recomendam de 300 a 500g por semana, o que na prática equivale a um bife pequeno (70g de carne vermelha; até 100g se for carne branca) de três a cinco vezes na semana. Em outras palavras, o ideal é que não passe de um quarto do prato, que deve ser dividido também com carboidratos, gorduras, verduras e legumes. Não a torne o principal componente de duas ou mais refeições diárias.

E também não é necessário que seja consumida todo dia: alimentos como carnes brancas, feijão, espinafre e couve também são fontes de ferro, enquanto leite e ovos fornecem proteínas. Mas atenção: como nesses alimentos o teor de ferro e de proteínas é menor, pode ser necessário comê-los em mais quantidade, para atingir as marcas de nutrientes absorvidos alcançados pela carne vermelha. O ideal é estar sempre variando.

Com relação à gordura: se possível, prefira para o dia a dia os cortes com menos gordura e mais carne, como mignon, patinho e lagarto. Os cortes mais gordurosos, como picanha, podem ficar reservados para ocasiões especiais.

Na hora do preparo, separe a gordura visível e a capa ou pele do que é carne mesmo. É melhor cozinhar, assar ou grelhar do que fritar. Em qualquer destas opções, não use óleo, azeite nem manteiga, para não aumentar a gordura. E procure não deixar queimar demais, isto é, muito tempo no fogo alto, porque a crosta preta que se forma, se consumida com muita frequência, pode causar câncer.

Entre os malefícios do excesso de consumo da carne vermelha estão:

  • Aumento do risco de desenvolvimento de diversos tipos de câncer: esôfago, mama, cólon, reto, entre outros.
  • Aumento do risco de doenças cardiovasculares devido ao aumento do colesterol HDL, que é o colesterol ruim. Portanto, se você tiver problema com colesterol, consulte um médico para saber o quanto de carne pode consumir.
  • Aumento de inflamações, se houver muitas gorduras saturadas. Uma das que mais causa preocupação atualmente é a diverticulite, inflamação das bolsas do revestimento intestinal.
  • Dependendo da procedência, a carne pode estar contaminada com excesso de hormônios e antibióticos, que também são cancerígenos.